Menu

Anatel revela aplicativo espião em aparelhos piratas de TV box

Anatel revela aplicativo espião em TV Box piratas que são comercializados ilegalmente no Brasil, sabia como se proteger.
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on linkedin
imagem: pixabay

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) descobriu a presença de um programa espião em aparelhos piratas de TV box (os famosos “gatonets”) capaz de roubar dados dos usuários. Em destaque, aparece o aparelho TV Box HTV, considerado o mais vendido no mercado ilegal por ser o mais apreendido nas operações de fiscalização e combate à pirataria.

Os estudos realizados pela agência se basearam em engenharia reversa em dispositivos TV box não homologados, ou seja, piratas. Conduzidos pela Anatel, os trabalhos contaram com a colaboração de técnicos da Agência Nacional de Cinema (Ancine) e da Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA).

Segundo informa a Anatel, o software malicioso é capaz de permitir que criminosos assumam o controle da caixinha TV box para capturar uma variedade de informações dos usuários. Dentre esses dados, estão registros financeiros ou arquivos e fotos que estejam armazenados em dispositivos que compartilhem a mesma rede.


Os estudos realizados pela agência também mostraram que, durante a operação normal do TV box, ocorria a atualização do malware via botnet, com um servidor de comando podendo operar remotamente os aplicativos instalados no aparelho e realizar ataques de negação de serviço (DoS) contra outro sistema em rede.

Ataques a rede

Dependendo da infraestrutura, os criminosos poderiam assumir o controle simultâneo de vários desses dispositivos de TV box, o que viabilizaria ataques de negação de serviço distribuído (DDoS), com potencial para causar prejuízos a instituições públicas e privadas que utilizam redes de telecomunicações, derrubando sites e realizando outros tipos de operação danosa.

Para realizar testes em condições semelhantes às do consumidor comum desses aparelhos piratas, a Anatel utilizou “gatonets” disponíveis em centros de comércio popular e em marketplaces. Além disso, a agência contou com o suporte de peritos forenses, sendo utilizada uma infraestrutura residencial condizente com a que possui o usuário final.

Aparelhos precisam de homologação da Anatel

Os testes continuarão sendo realizados, abrangendo outros modelos de TV box, o relatório técnico dos estudos de engenharia reversa nos aparelhos pode ser acessado aqui. A Anatel informa que equipamentos de telecomunicações precisam de homologação da agência para serem comercializados e utilizados no Brasil.

“O processo de avaliação da conformidade e homologação busca garantir padrões mínimos de qualidade e segurança. Aparelhos não homologados destinados à recepção de sinais de TV a cabo ou de vídeo sob demanda podem acessar conteúdos protegidos por direitos autorais, o que é crime”, diz a nota.

Os aparelhos de TV box ilegais adaptam televisores para reproduzirem conteúdo de streaming e, em boa parte, também permitem o acesso ilegal dos usuários a canais de TV por assinatura. Junto ao Plano de Ação de Combate à Pirataria (PACP), criado em 2018 pela Anatel, apenas nos últimos dois anos, já houve a retirada do mercado de cerca de 1,1 milhão de aparelhos TV box não homologados.

| Fonte: Olhardigital

Ver mais

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site.